Crítica de The Hours — as divas roubam a cena em uma ópera pesada em pastiche | Vezes2

★★★☆☆
Camp, afirma Susan Sontag, é uma arte que se leva muito a sério. É difícil imaginar o que Sontag teria a dizer sobre a soprano Renée Fleming, canalizando sua melhor Meryl Streep, cantando sobre saag paneer no palco do Metropolitan Opera.

Fleming é a razão de ser de Kevin Puts As horas, recebendo sua estreia encenada no Met. Baseado no romance vencedor do Pulitzer de Michael Cunningham e na adaptação cinematográfica de Stephen Daldry com um elenco vencedor do Oscar de Meryl Streep, Julianne Moore e Nicole Kidman, conta a história de três mulheres em diferentes épocas reunidas pelo romance de Virginia Woolf. senhora Dalloway. Certamente tem potencial operístico – os fluxos de consciência de Woolf se prestam a voos líricos de fantasia e à justaposição de histórias entrelaçadas

Leave a Comment