Finlândia diz que é necessário um intervalo nas negociações com a Turquia sobre candidatura à OTAN

HELSINQUE, 24 Jan (Reuters) – O ministro das Relações Exteriores da Finlândia disse nesta terça-feira que um intervalo de algumas semanas é necessário nas negociações da Finlândia e da Suécia com a Turquia sobre seu pedido de adesão à aliança militar da Otan.

O presidente da Turquia disse na segunda-feira que a Suécia não deve esperar o apoio de seu país após um protesto perto da embaixada turca em Estocolmo no fim de semana, que incluiu a queima de uma cópia do Alcorão.

“É necessário um intervalo antes de voltarmos às negociações de três vias e ver onde estamos quando a poeira baixar após a situação atual, então nenhuma conclusão deve ser tirada ainda”, disse o ministro das Relações Exteriores, Pekka Haavisto, à Reuters em entrevista por telefone. .

“Acho que haverá uma pausa por algumas semanas.”

A Suécia e a Finlândia se inscreveram no ano passado para ingressar na Organização do Tratado do Atlântico Norte depois que a Rússia invadiu a Ucrânia e agora precisam do apoio de todos os atuais estados da OTAN para avançar com sua inscrição.

Mas a Turquia disse que a Suécia, em particular, deve adotar uma postura mais clara contra o que Ancara vê como terroristas: principalmente militantes curdos e um grupo que ela culpa por uma tentativa de golpe em 2016 na Turquia.

O presidente turco, Tayyip Erdogan, anunciou na segunda-feira que as eleições presidenciais e parlamentares seriam antecipadas um mês para 14 de maio.

Haavisto disse que conversou na segunda-feira com o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu.

“É claro que eles sentem a pressão das próximas eleições em meados de maio e, por causa disso, a discussão compreensivelmente se tornou acalorada de várias maneiras na Turquia”, disse Haavisto.

A Finlândia e a Suécia disseram repetidamente que planejam se juntar à aliança simultaneamente e Haavisto disse que não vê razão para considerar se a Finlândia pode fazer isso sozinha.

Reportagem de Essi Lehto; edição por Terje Solsvik, Andrew Heavens e Kevin Liffey

Nossos padrões: Princípios de confiança da Thomson Reuters.

Leave a Comment