Modelo brasileiro atropela e mata menino de 16 anos (Vídeo)

Um novo vídeo de vigilância mostra o momento horrível em que um modelo brasileiro atropelou um garoto de 16 anos e arrancou parte de sua perna.

A filmagem foi gravada em um condomínio em frente a uma praia da Barra da Tijuca no Rio de Janeiro e mostra João Cardim atravessando a rua com sua mãe, Mariana Cardim, no último sábado.

João Cardim corre para a calçada quando Bruno Krupp de repente bate com a moto no adolescente, derrubando-o.

Krupp, que não tem licença para pilotar uma motocicleta, continua correndo pela rua e em um ponto cai no chão.

AVISO CONTEÚDO GRÁFICO

Um vídeo de vigilância divulgado na sexta-feira mostra o momento em que o modelo brasileiro Bruno Krupp (foto) atropelou João Cardim, de 16 anos, no Rio de Janeiro na noite de sábado. Cardim morreu em um hospital local naquela noite. Krupp, de 25 anos, agora enfrenta uma acusação de homicídio. Ele passou por uma cirurgia para uma fratura na clavícula na quarta-feira e chamou o incidente de ‘acidente’

João Cardim, de 16 anos (à direita), caminhava com sua mãe, Mariana Cardim (à esquerda), em uma praia na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, na noite de sábado, quando foi atropelado por Bruno Krupp, um brasileiro. modelo que andava de moto sem habilitação.  O adolescente perdeu uma parte da perna no acidente e foi levado às pressas para um hospital local, onde morreu

João Cardim, de 16 anos (à direita), caminhava com sua mãe, Mariana Cardim (à esquerda), em uma praia na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, na noite de sábado, quando foi atropelado por Bruno Krupp, um brasileiro. modelo que andava de moto sem habilitação. O adolescente perdeu uma parte da perna no acidente e foi levado às pressas para um hospital local, onde morreu

Imagem estática de um vídeo de câmera de vigilância mostra o momento em que João Cardim está correndo para a calçada antes de ser atropelado por uma motocicleta operada pelo modelo brasileiro Bruno Krupp, um motorista sem habilitação

Imagem estática de um vídeo de câmera de vigilância mostra o momento em que João Cardim está correndo para a calçada antes de ser atropelado por uma motocicleta operada pelo modelo brasileiro Bruno Krupp, um motorista sem habilitação

O impacto do acidente arrancou parte da perna esquerda de João Cardim e foi recuperado de um gramado próximo à entrada da praia, onde ele e sua mãe planejavam caminhar antes de voltar para casa depois de participar de uma festa de aniversário.

Cardim foi levado às pressas para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, onde morreu pouco depois.

Krupp foi hospitalizado no mesmo centro médico e recebeu alta no domingo.

No entanto, o influenciador das redes sociais foi internado para cirurgia em um hospital do bairro carioca do Méier nesta quarta-feira e foi preso após um juiz emitir um mandado de prisão que o acusa de homicídio.

João Cardim, de 16 anos, foi flagrado em uma câmera andando com sua mãe, Mariana Cardim, antes de ser preso pelo motociclista em alta velocidade, Bruno Krupp

João Cardim, de 16 anos, foi flagrado em uma câmera andando com sua mãe, Mariana Cardim, antes de ser preso pelo motociclista em alta velocidade, Bruno Krupp

Imagem estática de um comunicado em vídeo divulgado pelo modelo brasileiro Bruno Krupp momentos antes de ser operado em um hospital do Rio de Janeiro na quarta-feira.  Krupp pilotava sua moto sem habilitação e atropelou João Cardim, de 16 anos, que morreu no hospital momentos após o acidente do último sábado. "Não bebi, não usei drogas.  Foi um acidente, pessoal," ele disse

Imagem estática de um comunicado em vídeo divulgado pelo modelo brasileiro Bruno Krupp momentos antes de ser operado em um hospital do Rio de Janeiro na quarta-feira. Krupp pilotava sua moto sem habilitação e atropelou João Cardim, de 16 anos, que morreu no hospital momentos após o acidente do último sábado. “Eu não bebi, não usei drogas. Foi um acidente, pessoal”, disse

Krupp, que passou por uma cirurgia para reparar uma fratura da clavícula, emitiu uma declaração em vídeo gravada de seu leito de hospital antes da operação, indicando que foi um ‘acidente’ de sua parte e que ele foi maltratado pela equipe médica do Hospital Municipal Lourenço Jorge enquanto ele esperou para ser atendido.

“Fui levado de ambulância, não fugi do hospital, não fugi dos médicos”, disse Krupp em português. “Estava morrendo no hospital, os funcionários estavam me tratando mal, batendo na maca do corredor, me chamando de assassino, como se eu tivesse feito algo errado.”

O modelo desmentiu os rumores de que ele foi prejudicado enquanto pilotava a motocicleta.

“Eu não bebi, não usei drogas. Foi um acidente, pessoal”, disse Krupp.

Krupp foi parado pela polícia de trânsito apenas três dias antes do acidente mortal. Ele recusou o teste do bafômetro e foi autuado por andar de bicicleta sem habilitação e por dirigir veículo sem placa.

Moradores e policiais cercam a motocicleta que o modelo brasileiro Bruno Krupp pilotava quando atropelou e matou um adolescente no Rio de Janeiro no último sábado.  A rede brasileira TV Globo informou na quinta-feira que Krupp foi reprovado em um teste de estrada necessário para obter uma licença de motocicleta

Moradores e policiais cercam a motocicleta que o modelo brasileiro Bruno Krupp pilotava quando atropelou e matou um adolescente no Rio de Janeiro no último sábado. A rede brasileira TV Globo informou na quinta-feira que Krupp foi reprovado em um teste de estrada necessário para obter uma licença de motocicleta

Imagem de uma câmera de vigilância divulgada na sexta-feira mostra uma multidão cercando João Cardim, de 16 anos, após ele ser atropelado por uma motocicleta operada pelo modelo brasileiro Bruno Krupp no ​​último sábado

Imagem de uma câmera de vigilância divulgada na sexta-feira mostra uma multidão cercando João Cardim, de 16 anos, após ele ser atropelado por uma motocicleta operada pelo modelo brasileiro Bruno Krupp no ​​último sábado

Ele comprou a motocicleta em maio, mas falhou em um teste de estrada, informou a rede brasileira TV Globo.

Antes de ir para a cirurgia na quarta-feira, Krupp disse a seu advogado, William Pena, que os freios da motocicleta falharam quando ele se aproximou de Cardim.

“Não houve engano. Ninguém sai de casa para matar alguém sendo atropelado”, disse Pena a repórteres na quinta-feira. “’Ah, vou atropelar alguém na esquina’. Há um certo exagero em tudo o que estão publicando.”

Mas diz-se que Krupp estava em alta velocidade, excedendo 90 milhas por hora antes de atingir o adolescente.

Câmeras de segurança instaladas em vários estabelecimentos da Avenida Lúcio Costa mostraram excesso de velocidade na faixa da esquerda.

‘Ele é conhecido, todo fim de semana ele passa aqui. Essas motos barulhentas, passam voando por aqui, às vezes passam por aqui, e quando a gente olha já está longe’, disse à Globo um quiosque que viu o acidente no sábado.

Leave a Comment