Olivia Wilde aborda ‘Spitgate’, fala Shia LaBeouf em nova entrevista

Três anos depois de receber elogios generalizados com sua estréia na direção Livro inteligenteque estimulou uma indicação ao Globo de Ouro para Beanie Feldstein, Olivia Wilde está de volta às telonas com seu tão esperado acompanhamento Não se preocupe querida.

A menos que você de alguma forma tenha evitado conversar com outros seres humanos nos últimos meses, você está bem ciente da variedade de momentos virais em torno do lançamento do filme, incluindo (mas não limitado a) o que a própria Wilde agora se referiu como “ Spitgate.”

A comoção focada no cuspe – que começou com um clipe viral que muitos afirmaram como mostrando a saliva de Harry Styles sendo enviada na direção de sua co-estrela Chris Pine – rapidamente estimulou uma declaração de um representante de Pine, que chamou a alegação de “uma completa fabricação” nascida do desejo de alimentar ainda mais a “especulação tola”. Styles, entretanto, mais tarde brincou sobre isso em um show.

“Mas acho que é um exemplo perfeito de, tipo, as pessoas procurarão drama em qualquer lugar que puderem”, disse Wilde. Show tardio apresentador Stephen Colbert no programa de quarta-feira. “Harry não cuspiu em Chris, na verdade. … Isso é exatamente o que quero dizer. As pessoas podem assistir a um vídeo que mostra evidências de que alguém não cuspiu em outra pessoa e ainda verão o que querem ver. E isso é a criação de drama e isso é clickbait.”

Na época, Wilde estava respondendo a uma pergunta sobre DWD estrela Florence Pugh, com quem alguns especularam repetidamente que ela tem problemas mútuos. Wilde refutou essa narrativa e observou que seus colegas homens não enfrentariam as mesmas perguntas sobre o elenco, com as quais Colbert concordou.

“Não tenho nada contra ela por nenhuma razão”, disse Wild sobre a “fantástica” Pugh, que interpreta Alice Chambers no novo filme.

Outro elemento dos bastidores do processo por trás de trazer DWD da página para a tela que recebeu muita atenção é o envolvimento anterior no projeto de Shia LaBeouf, que em dezembro de 2020 foi acusado de abuso pelo ex-parceiro FKA Twigs.

A conversa sobre as circunstâncias da partida de LaBeouf acabou por incluir mensagens vazadas, com ambos os lados parecendo pintar imagens muito diferentes do que aconteceu durante os estágios iniciais do processo de preparação. Na quarta-feira Show tardio chat, Wilde disse que LaBeouf deu a ela um “ultimatum” durante o que ela descreveu como esforços de mediação entre duas de suas estrelas.

“No início do processo de fazer o filme, como diretor, tentei mediar uma situação entre as pessoas para tentar ver se elas poderiam trabalhar juntas e felizes”, disse Wilde a Colbert na quarta-feira. “Uma vez que ficou claro que não era uma relação de trabalho sustentável, recebi um ultimato. Escolhi minha atriz, o que estou muito feliz por ter feito. Na época, eu estava chateado por não termos conseguido fazer isso funcionar? Claro. As informações sobre ele vieram à tona mais tarde, o que me deixou confiante de que tomamos a decisão certa? Absolutamente.”

Quando perguntada diretamente se ela demitiu LaBeouf, Wilde continuou, chegando à conclusão de que “é uma questão de semântica”. O projeto, no entanto, “não ia avançar” como LaBeouf queria.

“Tivemos que substituir Shia”, disse Wilde. “Ele é um ator fantástico, mas não ia funcionar. … Quando ele me deu o ultimato dele ou de Florence, eu escolhi Florence. E era ele sentindo que estava se afastando e eu sentindo que estávamos seguindo em frente sem ele.”

Veja mais da discussão de Wilde e Colbert acima. Não se preocupe querida estreia em todo o país na sexta-feira e também conta com Gemma Chan, Nick Kroll e KiKi Layne entre seu elenco estendido.

Leave a Comment